Sobre Guilherme Carnicelli

Publicitário pela FAAP com especialização em Marketing e Vendas pela ESPM e MBA em Gestão Empresarial Estratégica pela USP. Com uma carreira construída como empreendedor e em empresas multinacionais, foi um dos responsáveis no Brasil pela estruturação e desenvolvimento de duas das maiores empresas de corretagem imobiliária no mundo a RE/MAX e a Coldwell Banker. Atualmente, trabalha como consultor no setor imobiliário e possui negócios nas áreas de consultoria e internet. É também autor do blog Guilherme Online e apresentador do programa Café Imobiliário.

7 Comentários


  1. Realmente estou no mercado algum tempo, trabalhado em imobiliárias, grandes incorporadoras, franquias imobiliárias e plantões diversos, sinto mesmo isso que disse, temos que procurar um profissionalismo no nosso mercado e a valorização do corretor de imóveis, vemos que a tecnologia tem ajudado, precisamos se tornar especialistas e buscar sermos mais consultores com senso analítico apurado neste ramo.

    Responder

  2. Sou autônomo, literalmente. Tenho meu próprio site ( http://www.regisdias.com.br ), meu próprio escritório e trabalha comigo apenas minha secretária. Faço algumas parcerias, raramente. Não gosto de trabalhar com construtores justamente por algumas dessas razões elencadas. Prefiro trabalhar com imóveis de terceiros, eventualmente com pequenos construtores. Fujo das grandes imobiliárias e das grandes construtoras, pois estas não valorizam os corretores. Concordo sim, que a maioria dos corretores do mercado é realmente mal preparada. Muitos têm medo de informar a realidade dos preços de mercado aos imóveis, outros partem para descrições ridículas de seus produtos, outros, ainda, têm zero conhecimento sobre financiamento e documentação imobiliária. Mas as construtoras… essas agem como se seus produtos fossem únicos no mercado, têm regras também ridículas. Só trabalho para esses se o cliente cair literalmente “no colo”. Se não, nem pensar. Burocracias desnecessárias, contratos ridículos, prazos de entrega nunca cumpridos, produtos entregues em desacordo com as especificações. Tenho meu nome a zelar para ficar oferecendo imóveis que futuramente trarão aborrecimentos a meus clientes e consequentemente, incomodação para mim.

    Responder
  3. Fátima Lima

    Concordo plenamente. Sou corretora há pouco tempo, 4 anos, mas sou de vendas há 23 anos.
    Eu gostaria de saber qual a finalidade de construtoras e imobiliárias encherem standes de vendas de pessoas sem experiência primeiro em vendas e depois totalmente despreparados, sem informações e formação para mercado imobiliário.
    Acho desumano e desrespeitoso com essas pessoas.
    Tenho para mim uma finalidade mas me recuso a aceitar. O que pode dar certo com profissionais e empresas pensando dessa forma, de uma maneira egoísta e arcaica?
    O resultado econômico, administrativo, e logístico só poderia ser esse que todos vemos hoje. Um cenário confuso e desproporcional.

    Responder

  4. Amigo e consultor imobiliário.
    Sr Guillherme bom dia,parabens pelos seus ensinamentos? justamente estou em uma fase que não estou conseguindo superar as vendas de imóveis estou há 29 anos no mercado fiquei sem recusso financeiros,mais estou enfrentando os obtáculos gostei muito da sua mensagem,mais um dos grandes problemas que estamos enfrentando é uma economia sem estabilidades por conta de uma moeda desvalorizada,acredito que um dia poderemos obter sucesso? muito obrigado pelos seus ensinamentos

    Responder
  5. André Luiz de Oliveira Naciff

    Concordo em parte com seu artigo. Sou corretor autônomo em Goiânia,e vejo muito amadorismo em todos os elos do mercado. Não quero mais trabalhar em imobiliária, pois como eu dizia em reuniões ” enchendo linguiça” querem que o corretor bata o escanteio e cabeceie para o gol. Entretanto, não existe a contrapartida das imobiliárias.
    O corretor, principalmente os de lançamentos, não se valorizam e são constantemente obrigados a fazerem ações ridículas para tentar vender. As imobiliárias não querem investir em estratégias que tragam retorno e os corretores não se profissionalizam.

    Responder

  6. Prezado Guilherme, bom dia.

    Muito interessante seu artigo. Gostei!
    Gostaria de ir mais a fundo, qual seria seu conselho às imobiliárias? Quais acções, por exemplo, as imobiliárias poderiam fazer para tratar o corretor de imóveis como gente grande?

    Responder
    1. Guilherme Carnicelli

      Primeiro passo, fazer com que eles entendam que são sócios de um negócio e que a imobiliária tem suas estratégias baseadas na execução das atividades por todos, inclusive o corretor de imóveis. Cria ações em que eles sejam parte da execução, aqueles que não estão dispostos a fazer o que tem que ser feito, ficam melhores no seu concorrente.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *