Sobre Guilherme Carnicelli

Publicitário pela FAAP com especialização em Marketing e Vendas pela ESPM e MBA em Gestão Empresarial Estratégica pela USP. Com uma carreira construída como empreendedor e em empresas multinacionais, foi um dos responsáveis no Brasil pela estruturação e desenvolvimento de duas das maiores empresas de corretagem imobiliária no mundo a RE/MAX e a Coldwell Banker. Atualmente, trabalha como consultor no setor imobiliário e possui negócios nas áreas de consultoria e internet. É também autor do blog Guilherme Online e apresentador do programa Café Imobiliário.

14 Comentários


  1. Considero completa sua analise,perfeitamente adequado ao mercado imobiliario no Brasil.Estive por anos nos mercado americano e sempre tratamos a exclusividade de maneira absolutamente necessaria.Conte sempre conosco para fortalecer este procedimento profissional altamente favoraval a ambas partes de um negocio.

    Responder

    1. Obrigado Leandro, essa é uma luta que todos nós que estamos envolvidos no mercado imobiliário devemos ter. É o tipo de batalha que vale a pena lutar, mas ao mesmo tempo exige mais do que palavras, exige muita vontade de fazer acontecer. Um abraço e sucesso.

      Responder

  2. Gostei do artigo, e sempre busco exclusividade nas angariações. É mais dificil e trabalhoso, mas seguro. Esta é a diferença dos cadastradores de imóveis, que alem de não serem corretores, colocam nos seus sites uma quantidade absurda de imóveis com preços absurdos e que pelo menos cinco empresas estão anunciando.
    Esta é a realidade…..

    Responder

    1. Exatamente Raquel, bons profissionais podem ser medidos pela qualidade de suas angariações, aqueles que trabalham apenas para cadastrar imóveis estão na profissão errada, ou então não perceberam que perdem mais do que ganham com esse procedimento.
      Desejo sucesso e continue firme com suas exclusividades.

      Responder
  3. Carlos

    A exclusividade só faz sentido quando um angariador sabe angariar, o que 90% dos casos isso não acontece!

    Responder

  4. Bem sabemos que a exclusividade é por demais fundamental para o corretor de imóveis, mais para que isso venha se tornar uma realidade é preciso haver uma campanha publicitária por parte dos órgãos da nossa classe para conscientizar o povo Brasileiro. O povo Brasileiro lamentavelmente foram educados pelos seus antepassados para deixar sempre uma brecha para levar vantagem em tudo, assim como as leis brasileiras sempre tem uma brecha para uma defesa. Por conta disso são poucos os que concordam em dá uma exclusividade, por outro lado tem os corretores tanto faz como tanto fez que topam a arriscar o seu trabalho simplesmente com um compromisso verbal. Portanto, podemos chegar lá mais vai ser um trabalho árduo, é como pegar um índio selvagem na Amazona e ensina-lo a ser civilizado.

    Responder

    1. Caro Jorge, obrigado pelo seu comentário, mas permita-me discordar. Orgãos de classe como o CRECI tem como principal objetivo fiscalizar a atividade do corretor, a exclusividade é mais do que isso, é um princípio de trabalho que se adota, nenhuma campanha será mais efetiva do que o bom corretor dizer para o seu cliente: “Como profissional especialista eu trabalho apenas com exclusividade”. Cabe ao corretor de imóveis a mudança de paradigma, ele, e somente ele, é dono dos rumos que a profissão deve tomar no futuro. Um abraço e sucesso.

      Responder

  5. Olá ,

    Guilherme!

    Tudo bem?

    Venho estudando este assunto da Exclusividade já a algum tempo…

    Acredito que suas palavras estão de acordo ,com que penso também… E claro dá para acrescentar mais dicas…

    Trabalho em uma imobiliária aqui em Porto Alegre / RS – Chamada ” DLEGEND LOCAÇÕES ” . Focada somente com locação de imóveis e todos os imoveis que estão em nosso site, http://www.dlegend.com.br , são exclusivos , ou seja…
    Trabalhamos somente com exclusividade.

    Quero muito poder manter contato com você , pois acredito que num futuro próximo podemos conversar mais sobre este assunto / Tema

    Desejo Saúde e um forte Abraço !!!

    Feliz 2013 !!!

    Atenciosamente;

    Daniel Minossi Agliardi
    E-mail : daniel@dlegend.com.br

    Responder

    1. Daniel obrigado pelo seu comentário.
      Meus contatos estão no Blog e estou a disposição sempre que quiser discutir assuntos ligados ao mercado imobiliário.
      Um Feliz 2013.

      Responder

      1. Amigo e corretor de Imóveis Guilherme Carnicelli.
        Agrdeço pela sua competência em vendas de Imóveis,gostei muito do seu plano que o(as) corretor(aes) estão precisando tomar mais conhecimentos,qualquer corretor(a) que trabalha sem exclusividade,este corretor(a) está dando mal exemplo para a sua própria profissão,um negócio sem uma exclusividade o corretor(a) não está tendo segurança no seu negócio,conforme prevê o artigo 171 do código penal brasileiro,não existe nem uma segurança para recebimento de comissões sem a devida exclusividade de venda(s) pelo(s) proprietário(as) eu estou há 29 nos no mercado e estou tendo dificuldade para adquir uma exclusividade por falta da desonestidade da profissão que aceita qualquer grojeta em seu(s) trabalhos na qualidade de corretor(a) ai o(s) proprietário(as) tem o seu favor este falso corretor(aes) ate mesmo sendo titular do Creci-o meu nome é João Valério dos Santos Inscrito no CRECI-F-1638 24ª Região/R0 meus contatos está fixado no site http://www.imobiliariacbnegocios.com.br

        Responder
        1. Guilherme Carnicelli

          Obrigado João Valério por suas palavras, apenas uma correção, eu não sou corretor de imóveis, mas trabalho fortemente para melhorar o mercado imobiliário como consultor e palestrante. Um abraço.

          Responder

  6. Essa é uma questão relevante, mas na prática hoje não se consegue com facilidade uma exclusividade, especialmente quando ha tantas facilidades (zap, bom negocio, trovit, olx,etc,ec…..) de proprietario anunciar seu imóvel por sua conta e de forma gratuita. Junte-se a isso a enorme quantidade de imobliárias existentes nas cidades, o alto custo para se colocar um anuncio profissional nos meios de divulgação em massa. Acaba se tornando uma guerra, e assim, somos obrigados a trabalhar sem exclusividade, muitas veze ate mesmo “de boca” pois o proprietario não quer assinar nada de compromisso.
    Falta ainda muito e falta legislação que proteja o trabalho dos profissionais da área dos oportunistas. Hoje, especialmente nas cidades maiores, todo mundo é corretor (o porteiro, o zelador, o advogado sem creci, e outros….).

    Responder

  7. Guilherme sentimos essa resistência do exclusivo e tentamos colocar em prática e como você disse é super difícil, mas ainda pior que encontramos aqui é resistência na autorização de venda, elementos que só demonstram credibilidade do profissional.
    Mas em outro ponto concordo com o Jorge Fernando o bom profissional necessita de apoio dos Conselhos, como em uma fiscalização do CRECI, contei a dificuldade que é o cliente proprietário assinar autorização de venda que menciona “já coloquei vários imóveis a venda e nenhum corretor me pediu isso”, mencionei que enviamos a Lei, e dei a ideia que o cliente que desconfiasse da Conduta recebesse um comunicado informando que o presente Corretor ou Imobiliária estava agindo de acordo com a lei e que contrário era agir na ilegalidade, e simplesmente nada foi colocado em prática continuamos tendo inúmeras dificuldades.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *